A Vitória de um Ideal

Professor Norberto nasceu em Campinas/SP em 06 de junho de 1895.

Foi alfabetizado pela Professora Alda Barbosa do Amaral que o matriculou na Escola Mista Municipal do Guanabara, naquela época dirigida pela saudosa Professora Castorina Leme Cavalheiro, cursando posteriormente a Escola Complementar, que mais tarde viria se constituir em Instituto de Educação “Carlos Gomes” onde se diplomou como professor em 1917. Enfrentando dificuldades financeiras, teve seus estudos custeados pelo insigne bispo Dom João Nery e o benemérito médico Dr. Thomaz Alves.

Neste mesmo ano foi nomeado para dirigir a Escola Isolada Masculina no antigo bairro do Frontão, hoje atual bairro Cambuí em Campinas. Foi neste momento que Professor Norberto com sua cuidadosa observação começou a constatar que entre os 115 alunos que compunham as classes de 3, 2 e 1 anos, a grande maioria dos alunos eram várias vezes repetente do 1 ano.

Sua constatação foi sendo pesquisada e chegou à conclusão que a causa mais evidente das repetências contínuas eram, a falta de assiduidade, a desnutrição e a deficiência mental.

Nesse mesmo ano fundou em sua residência, por iniciativa própria a Primeira Escola de Ensino Emendativo, a fim de atender de maneira totalmente gratuita esses alunos com dificuldades cognitivas, buscando elaborar um novo método de alfabetização. As aulas eram oferecidas a noite em sua residência, segundo o próprio professor , a luz de um lampião, de maneira totalmente abnegada e altruísta. Já no ano seguinte os resultados logo apareceram, todos os alunos atendidos pelo professor conseguiram se matricular no 2 ano da Escola Regular.

O sucesso do seu método e sua dedicação foi tamanha, (formou ao longo dos anos sua própria biblioteca especializada, onde tinha exemplares de várias nacionalidades) que no ano seguinte, foi fundada a primeira Classe Diferencial (era assim que chamavam na época) com 15 alunos dentro da própria Escola, sendo esta iniciativa pioneira no Estado de São Paulo, como também em todo o Brasil.

O resultado do seu trabalho foi tão bem recebido pela comunidade médica e acadêmica que no ano seguinte e por longos anos consecutivos foram sendo fundadas Classes Diferenciais, anexas aos diversos sanatórios e Escolas existes no Estado de São Paulo, sob sua orientação técnica pedagógica como o Hospital Sanatório Juqueri, em Franco da Rocha, Instituto Médico Escolar no Largo do Arouche e Grupo Escolar do Belenzinho em São Paulo, entre outros, retirando inúmeras crianças e jovens do convívio manicomial e de repetência, inserindo-os em atendimentos pedagógicos especializados e terapêuticos, possibilitando a todos eles um tratamento mais humano e de maior pertencimento social.

Paralelamente, dava aulas particulares, preparando alunos para o ingresso nas Escolas Normais e Ginásios Estaduais, além de dirigir cursos preparatórios para exames de admissão que eram exigidos naquele tempo. Como se não bastasse ainda conseguia tempo para escrever semanalmente (durante 40 anos) artigos sobre os mais variados temas para uma coluna no jornal local Correio Popular, entre outros jornais de outros Estados, como Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul (fundou em 1927 a Associação Campineira de Imprensa –A.C.I., a primeira criada no Estado de São Paulo, sendo seu presidente por pelo menos 10 anos consecutivos).

 

Pioneirismo:

A idéia da criação no Brasil de um curso de especialização no Ensino de crianças com deficiência mental para professores nasceu em 1924, quando chegou até ele um artigo do Jornal Argentino “La Prensa” de Buenos Aires, sobre a instalação de uma classe destinada a professores que desejassem especializar-se no ensino de crianças deficientes. Neste momento o Professor Norberto que já mantinha sua escola desde 1917, pensou em criar aqui em Campinas um curso análogo.

Neste momento começou sua jornada convincente da sua bandeira. Foi então que em 1929 lhe foi conferido o título de professor especializado em Ortofrenia (ramo da medicina que se ocupa de deficiências mentais).

Seu nome começou a ser citado e reconhecido nacionalmente e internacionalmente pelos inúmeros artigos científicos publicados em periódicos especializados e jornais, transpondo as fronteiras dos Congressos Internacionais, sendo citado por figuras como Mira y Lopes, Psiquiatra da faculdade de Barcelona e referência internacional.

E foi pela construção de uma sólida estrutura no campo da deficiência intelectual que em 1957 o então governador do Estado, Jânio Quadros, através de um decreto de lei recomendou com urgência a instalação no Instituto de Educação “Carlos Gomes” de um Curso de Especialização em Educação Infantil Pública para Deficiência Mental em classes especiais sob a orientação técnica pedagógica do Professor Norberto de Souza Pinto.

O ensino especializado, finalmente ganhava uma sólida estrutura, se igualando a países que ofereciam esse ensino qualificado e diferenciado, como Suíça, França, Argentina, Uruguai, Itália e Inglaterra.